Representantes da Inviolável participam de reunião no Siese/PR para discutir questões do setor de monitoramento eletrônico

29 de maio de 2019

O encontro teve a presença de membros da
diretoria do Siese/PR e de empresários do setor.


 


Com o objetivo de discutir questões voltadas ao setor de
monitoramento eletrônico, os membros da diretoria do Sindicato das Empresas de
Sistemas Eletrônicos de Segurança do Estado do Paraná (SIESE-PR) e empresários
do setor se reuniram no dia 09 de maio no Sindicato das Empresas de Segurança
Privada do Estado do Paraná (Sindesp).


Estiveram presentes na reunião o Presidente do Siese
Paraná e diretor da Inviolável, Adroaldo Companhoni; o vice-presidente do Sindicato e gestor da Inviolável Guarapuava, Cledemar Antonio Mazzochin; o
diretor financeiro do Siese, Clóvis Diniz; o diretor administrativo e de
negociação do Sindicato e gestor da Inviolável Maringá, Julio Cesar Campanhoni;
o diretor de eventos do Siese, Clodoaldo Rossi; o diretor de comunicação e
marketing do Siese e gestor da Inviolável Irati, Marcielo Isidoro Mazzochin; e
o diretor de expansão do Siese, Moacir M.R. Junior. Representantes de empresas
do setor também participaram do encontro.


Durante a reunião, foram abordadas as temáticas sobre
posição financeira, congresso empresarial, cursos do Instituto Santa Catarina,
a participação ativa do marketing nas ações do Siese/PR, a parceria com a
Empresa Seguros e a Convenção Coletiva de Trabalho 2019/2020.


Segundo o presidente do sindicato, Adroaldo Companhoni,
o Siese/PR tem por objetivo manter os associados informados sobre os
acontecimentos do setor, como feiras, convenções e inovação, além de buscar
demonstrar as tendências do mercado de monitoramento eletrônico.


 “O segundo trimestre de 2018 e o primeiro
trimestre de 2019 foram difíceis para muitas empresas, inclusive da área de
segurança. Algumas que não estavam preparadas sofreram mais e tiveram
dificuldades na gestão. O Siese/PR está vendo o mercado reagir aos poucos.
Confesso que nosso setor talvez tenha sido um dos que menos sentiu a crise em
virtude da necessidade das pessoas sentirem a sensação de segurança contratada,
visto que o Estado não a faz com a qualidade desejada pelos cidadãos de bem.
Vejo que com os demais setores melhorando, nossa atividade prosperará ainda
mais”, coloca.


Na
ocasião, importantes temas voltados ao setor de monitoramento eletrônico foram
discutidos.


 

Newsletter